domingo, 10 de novembro de 2013


Celulite X Nutrição

https://www.facebook.com/SuplementoCorpoPerfeitoMarcs

Temida entre a mulherada, o fibroedema gelóide ou celulite, tem sido uma das queixas mais frequentes em relação à estética, pois, ela deixa aquela aparência de casca de laranja o que causa incômodo e insatisfação com o próprio corpo. Ela geralmente aparece nas coxas, glúteos e quadris, já entre os homens é mais comum na região da cintura.
As mulheres são as mais afetadas, atingindo até 95% das pessoas deste gênero, isto por que a camada mais externa de sua pele é mais fina e os compartimentos de gordura são maiores e mais arrendodados que dos homens.  Ela ocorre principalmente nas fases sujeitas a alterações hormonais como a puberdade e a gravidez.
A obesidade pode, ou não, estar associada à celulite. Porém, nota-se que, com o aumento do peso, ela aparece mais, devido ao fato de células gordurosas acentuarem o repuxamento das fibras.
Entre as diversas causas estão: a própria constituição e distribuição do tecido gorduroso, a genética de cada um, o ganho de peso, sedentarismo, alimentação desregrada, alterações enzimáticas e hormonais que, levam a uma alteração circulatória com acúmulo de líquidos e proteínas nas célullas de gordura. Parecem estar envolvidas também na quebra das células gordurosas ou aumentando o seu volume.
As células de gordura localizam-se na hipoderme (a camada mais profunda da pele), a qual apresenta fibras que ligam a superfície ao tecido mais profundo. Estas pontes fibrosas repuxam a pele para baixo, dando o aspecto de “furinhos”, característico da celulite.

Ela pode ser classificada em:
  • Grau 1: os furinhos só são percebidos quando a pele é comprimida.
  • Grau 2: os furinhos já são percebidos sem comprimir a pele. Passando a mão sobre a pele, já se percebe uma ondulação.
  • Grau 3: os nódulos são bastante perceptíveis e têm consistência endurecida, demonstrando que já houve formação de fibrose.

Algumas teorias sugerem que o excesso de radicais livres no organismo também está associado ao surgimento da disfunção, que pode indicar um desequilíbrio. Além deste, outros fatores dietéticos estão relacionados, os quais podem promover um estado inflamatório no organismo.
Sendo assim, concluímos que o aparecimento e tratamento da celulite esta intimamente ligado a alimentação.
Começamos então, a pensar na característica inflamatória da celulite e, na retirada ou ao menos diminuir fatores inflamatórios de nossa dieta, como excesso de gordura trans e saturada (carnes, queijos amarelos, bolachas, sorvetes de creme, etc.), sal, alimentos industrializados, alimentos que não trazem nutrientes (calorias vazias como refrigerantes, balas), carboidratos refinados (pão branco, macarrão refinado, arroz branco, etc), açúcar e excesso de adoçantes.
Além dos já citados acima, os alimentos alergênicos também aumentam a inflamação, os alergênicos mais comuns são: leite e derivados, soja, glúten, ovo, chocolate, milho, amendoim, entre outros. Porém, é uma questão muito individual, você deve prestar atenção nos alimentos que consome diariamente e também, procurar um profissional capacitado a identificar quais alimentos devem ser evitados.
O cuidado com o intestino também é fundamental pois, é ele quem elimina as toxinas que podem prejudicar ainda mais o controle da celulite.
Para manter um sistema antioxidante equilibrado, é necessário o consumo de alimentos fontes de vitamina C, vitamina E, selênio, manganês e zinco, bem como as oleaginosas e frutas cítricas. Os alimentos ricos em potássio, como a linhaça, tomate e a água de coco, que auxiliam também na hidratação.
Outro nutriente importante, é o ácido graxo ômega 3 que auxilia na redução da inflamação e é encontrado em boas quantidades na linhaça e nos peixes.
O açaí, o suco de uva ou a própria uva, também auxiliam no combate a celulite, pois são ricos em  nutrientes antioxidantes e antiinflamatórios.
Um nutriente que apresenta um potente efeito no tratamento da celulite é o silício, encontrado na aveia e cevada.
Outros cuidados a serem tomados são:

Evitar:
  • Sal em excesso. Salgadinhos, batatas fritas, castanhas, amendoim e frios (salame, mortadela, presunto, etc.) também são ricos em sal, que aumenta a retenção de líquidos no organismo.
  • Comer dois alimentos do mesmo grupo. Exemplo: arroz e batata ou frango e carne. As folhas verdes são a exceção, você pode comê-las à vontade.
  • Queijos amarelos,chocolates, creme de leite, chantilly, manteiga e frituras. São ricos em gordura.
  • Bebidas alcoólicas, doces e açúcar. São ricos em calorias que serão transformadas em gordura.
  • Longos períodos sem se alimentar. Fazer dieta não é passar fome nem fazer jejum.
  • Comer muito no jantar. À noite, seu organismo gasta menos energia, armazenando as calorias sob a forma de gordura.
  •  Carne vermelha, açúcar, gorduras, refrigerantes, e bebidas alcoólicas, prejudicam a pele e aumentam a velocidade do envelhecimento devido às toxinas presentes.
  • O refrigerante é um dos principais inimigos para quem quer fugir da celulite, pois eles aumentam a velocidade do envelhecimento devido às toxinas presentes.
  • O sal/sódio também é apontado como um “veneno” para a celulite, pois o sal ajuda o organismo a reter liquido. Desta forma, prejudica a circulação, que está muito envolvida no processo da celulite – um problema circulatório e inflamatório.

Preferir:
  • Refeições ricas em verduras e legumes crus.
  • Fazer um maior número de refeições de pequena quantidade.
  • Comer mais no café da manhã e no almoço e menos no jantar. Durante o dia seu organismo vai consumir mais energia, gastando mais calorias.
  • Beber bastante água, 2 a 3 litros por dia, melhorando sua diurese.
  • Pães, massas e cereais integrais: são ricos em fibras e ajudam seu intestino a funcionar melhor.

O cuidado com a estética começa com o cuidado interior de nosso corpo, intimamente relacionado a uma alimentação adequada.

LEMBRE-SE: A obesidade, além de piorar a celulite, é um risco para a sua saúde. E, a celulite também deve ser encarada no aspecto de saúde, pois se trata de um depósito de gordura, dificultando o retorno venoso, fazendo que muitas pessoas se sintam cansadas, com dificuldade até para andar nos graus mais severos.