quarta-feira, 28 de maio de 2014

Própolis mata as células do câncer de mama


    Própolis mata as células do câncer de mama
O própolis é uma substância resinosa segregada pelas abelhas, utilizada para selarem as colmeias. Fabricantes de suplementos colocam essa mesmo própolis em cápsulas e comprimidos para estimular o sistema imunitário. Pesquisadores da Universidade de Nova Iorque podem ter descoberto uma nova aplicação para o própolis. Eles descrevem, no Journal of Cancer Science and Therapy, como o própolis, em teoria, pode proteger as mulheres do câncer da mama.

Há vários anos que os pesquisadores sabem que a própolis mata as células cancerígenas. Os cientistas suspeitam que o efeito do própolis que inibe o câncer se deve aos compostos flavonoides como a crisina e quercetina, aos análogos de ácido decano e, acima de tudo, ao éster fenetil do ácido cafeico, frequentemente abreviado por CAPE.

Os pesquisadores da Universidade de Nova Iorque publicaram recentemente os resultados de estudosin-vitro nos quais o éster fenetil do ácido cafeico demonstrou conseguir matar as células cancerígenas do câncer da mama sensíveis e insensíveis aos hormônios(1) assim como as células estaminais do câncer da )mama.(2)

propolis_cancer_mama

A razão pela qual os cientistas estão tão interesados no éster fenetil do ácido cafeico é por causa da sua elevada biodisponibilidade. Os pesquisadores descobriram, inesperadamente, concentrações elevadas da molécula no sangue, após sua ingestão.

A estrutura química do éster fenetil do ácido cafeico se assemelha à do Vorinostat, um medicamento contra o câncer relativamente recente. A Merck comercializa o Vorinostat com o nome Zolinza desde 2006. Por causa das semelhanças entre os dois compostos, os pesquisadores questionaram se o éster fenetil do ácido cafeico de produção natural funcionaria da mesma forma que o Vorinostat, que se liga às enzimas histona deacetilase.

Assim que o Vorinostat se aninha na enzima, a histona deacetilase deixa de conseguir fazer o seu trabalho. Assim, o Vorinostat é um inibidor da histona deacetilase.

cancer_mama
 
As histonas deacetilase alojam-se no núcleo das células. Elas fecham o DNA para que os filamentos de material genético não estejam flutuando na célula, para que não atrapalhem outros processos e para que não sejam danificadas. Uma vez que as células não conseguem ler o DNA fechado, as histonas deacetilase desativam os genes. Apenas temporariamente, se tudo correr normalmente.

No entanto, as células cancerígenas abusam das histonas deacetilase e usam-nas para desativar muitos genes permanentemente. As células cancerígenas desativam tantas funções quanto conseguirem para que possam desviar mais energia para seu próprio crescimento. Os oncologistas esperam que os inibidores da histona deacetilase possam reativar essas funções, para que as células cancerígenas fiquem mais vulneráveis e para que possam ser mais facilmente combatidas através de quimioterapia ou imunoterapia.

Tanto o éster fenetil do ácido cafeico como o extrato de própolis natural desativam a histona deacetilase em as células cancerígenas do câncer da mama sensíveis às hormonas MCF-7. Quanto maior for a massa, mais preguiçosa é a histona deacetilase. Como pode ver, o própolis funciona melhor do que o éster fenetil do ácido cafeico puro.

propolis-mata-celulas-cancer-mama
 
O éster fenetil do ácido cafeico mata todas as células MCF-7 do própolis. Os pesquisadores também verificaram que acontece o mesmo com células cancerígenas que não tinham quaisquer receptores estradiol ou para a progesterona.

Apesar da histona deacetilase ativar os genes, o própolis e o éster fenetil do ácido cafeico reduzem o número de receptores para o estradiol e para a progesterona nas células MCF-7. Se o própolis fizer o mesmo com outras células, então o própolis pode ser interessante para os atletas que querem baixar os seus níveis de estrogénio.