quinta-feira, 19 de dezembro de 2013


Musculação aplicada a estética feminina

Durante muito tempo a musculação foi tida quase que exclusivamente uma atividade masculina. Criou-se o mito que toda mulher que praticasse musculação ficaria com aquele corpo masculinizado, cheio de músculos e que a mulher perderia sua feminilidade se praticasse tais exercícios. Cada vez mais estes mitos vem caindo por terra, graças a crescente busca das SUPLEMENTAÇÃO mulheres pela prática do treino de força. Hoje a grande maioria das pessoas sabe que uma mulher só ficará musculosa se treinar muito ( muito mesmo, pois devido a questão hormonal da mulher, que tem menos testosterona em seu organismo, a hipertrofia se torna muito mais difícil do que para os homens). Então se sua preocupação é ficar forte demais, te garanto que você só ficará assim se treinar muito e tiver uma superalimentação, coisa de atleta mesmo. Caso contrário a musculação só te trará benefícios.
Inicialmente, como já foi discutido no artigo sobre este tipo de treino ajuda a aumentar o metabolismo basal e consequentemente o gasto calórico. Mas os benefícios estéticos da musculação não param por ai.

Mas antes de discorre sobre os benefícios, é importante esclarecer alguns fatos. Homens e mulheres tem diferenças fisiológicas, hormonais e anatômicas que devem ser respeitadas na montagem e execução dos treinos. Inicialmente, não são encontradas diferenças significativas de força em membros inferiores entre homens e mulheres. Já nos membros superiores, os homens apresentam uma superioridade de força. Isso se deve, além dos aspectos anatômicos, hormonais e fisiológicos, também a questão que o tronco feminino equivale a 38% do comprimento do corpo, enquanto o tronco masculino equivale a 36%. Isso faz com que os homens tenham uma maior facilidade em vencer a gravidade nos treinos para membros superiores e portanto maior incidência de força pura (Machado, 2007). Por isso, a mulher que quiser treinar a parte inferior igual a um treino que um homem faz, provavelmente terá problemas. Já nos membros inferiores este problema não existe. Só quero deixar bem claro que isso é uma evidência científica direcionada a grande população. É lógico que existem exceções, mas o treinamento tem que ser prescrito e executado sem nunca esquecermos do princípio da individualidade biológica.
  1. Diminuição da Gordura Corporal: Como já foi mencionado, a musculação permite um aumento do metabolismo. Assim sendo, caso não se ingira alimentos gordurosos e se tenha um treino de qualidade, o corpo vai eliminar as reservas de gordura, deixando a camada subcutânea de gordura menos densa, evidenciando mais a musculatura.
  2. Tonificação Muscular: tonificar é diferente de hipertrofia. Portanto a mulher até tem mais dificuldade em hipertrofiar sua musculatura, mas não de tonificar. Este termo se refere a aumentar um pouco a secção transversa das fibras musculares, mas de maneira reduzida, se comparada a hipertrofia. Assim, com a perda de gordura corporal, os músculos irão ficar com um tônus mais elevado e ocuparão o espaço deixado pelas reservas adiposas, tornando o corpo menos flácido.
  3. Melhora da Simetria: com a musculação, por ser um exercício concentrado, pode se buscar desenvolver mais uma parte do corpo do que outras. Isso não quer dizer que possa ser negligenciada no treinamento as partes que não se quer desenvolver. Mulher tem que treinar braços, costas e peito, mesmo que seu objetivo não seja aumentá-los. Nestes casos, um treino com carga moderada e repetições altas ( de 10 a 15) já resolve o problema da falta de tonificação.